sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Por que não doar?

Por que não doar?


Quanto e quantas vezes cada um de nós tem doado  dinheiro, tempo ou até mesmo gentilezas? Para doar ou doar-se é preciso ir em busca de oportunidades. Estar atento ao que acontece ao redor, identificar-se e movimentar-se. Doar é participar. É poder fazer parte e contribuir. Sorriso, olhar, palavra, gesto, sangue, tempo, dinheiro, impactam e transformam vidas. Doar para um projeto ou causa social demanda uma escolha coerente com seus valores, comprometimento, assiduidade e dedicação.  Segundo pesquisa Global de Solidariedade  realizada este ano, 31,5% da população mundial doou dinheiro e 21,0% da população mundial doou tempo em atividades voluntárias. A doação depende de cada um de nós. De uma prática solidária e cidadã, onde cada um se perceba protagonista das mudanças que deseja de um mundo melhor: hoje aqui e agora, e um legado para deixamos para as gerações futuras! Eu sou doador. E você? 

“Doar-se é ser mais humano e compreensível
à vida do próximo. Doar-se é participar.”
  Marcelo Bitta Martins  

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Indice Mundial de Solidariedade - WORLD GIVING INDEX 2015

O relatório também mostra que cada vez menos brasileiros doam dinheiro ou tempo de voluntariado para ajudar boas causas, possivelmente refletindo a difícil situação econômica do país.
O World Giving Index da CAF é um estudo anual sobre o comportamento global de caridade baseado em pesquisas realizadas pelo Gallup em 145 países em 2014. Ele analisa três indicadores de doação: a porcentagem de pessoas que doaram para caridade, dedicaram tempo de voluntariado e ajudaram um desconhecido no último mês.
O estudo constatou que uma em cada cinco pessoas no Brasil (20%) afirmou ter doado dinheiro. Isso é menos do que os 22% de 2013 e é a porcentagem mais baixa registrada nos últimos seis anos. Os brasileiros com 50 anos ou mais continuam sendo os mais propensos a doar, apesar do percentual que doou dinheiro em 2014, ter caído 7 pontos percentuais, ficando em 29%. Já entre os mais jovens, que são o grupo menos propenso a doar, o percentual de doadores está aumentando. A porcentagem das pessoas de 15 a 29 anos e de 30 a 49 anos que realizaram doações aumentou 2 pontos percentuais, alcançando o total de 12%.
Os níveis de voluntariado também caíram no Brasil, com quase três milhões de pessoas a menos doando o seu tempo para boas causas em 2014, conforme o estudo. O relatório desse ano constatou que 13% das pessoas no Brasil se voluntariaram, em comparação com 16% no ano anterior. A queda foi bastante acentuada entre os homens.







A presidente do IDIS, parceiro da CAF no Brasil, Paula Jancso Fabiani, afirma que:  “é particularmente encorajador ver que mais pessoas jovens estão doando e que, mesmo em tempos econômicos difíceis, os brasileiros estão ajudando mais os outros. Mas está claro que ainda há um longo caminho a percorrer até que a doação no Brasil alcance níveis de países similares ao nosso. Em virtude da situação econômica, é provável que as pessoas sintam que têm menos tempo e dinheiro para doar”.

PARA SABER MAIS:
http://www.voluntariado.org.br/sms/files/Indice%20Mundial%20de%20Solidariedade%202015%20%20GIVING%20INDEX.pdf


quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Voluntariado:protagonismo cidadão

Voluntariado:protagonismo cidadão 

“Só engrandeceremos nosso direito à vida, cumprindo o nosso dever de cidadão do mundo.” Gandhi
  .


Desde de 2001, o Data Popular acompanha o desenvolvimento das classes C, D e Esua visão de mundo, seus valores em todos o Brasil, acumulando o conhecimento necessário na produção de estudos sobre esse mercado. Um pesquisa realizada este ano apresenta aspectos de participação social, cidadania e voluntariado:   “ Novo Brasil e o protagonismo Cidadão- oportunidades no terceiro setor”
Tão importante entender a população brasileira, considerando toda a diversidade que a compõe, mergulhando fundo no universo popular. Na pesquisa:
67% dos brasileiros afirma que a vida melhorou na última década - apesar da situação política e econômica do país estar conturbada,
82% acreditam que o principal responsável pela melhora de vida é resultado de esforço próprio
E com esse olhar de que cada brasileiro  é agente da mudança. Que o futuro depende da ação e protagonismo de cada um, a pesquisa traz um olhar sobre o voluntariado, como ferramenta de participação solidária e cidadã: O voluntariado é um valor para a população brasileira!
87% afirmam que voluntários são pessoas que tem compromisso o desenvolvimento do Brasil

82% afirmam que voluntários são pessoas que se preocupam com o bem estar social.    

www.datapopular.com.br

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Bússola e relógio: instrumentos para priorizar o tempo

Participei de uma oficina muito interessante com Cláudia Piereck da Cunha, diretora da empresa Meta RH. Falamos e exercitamos a priorização do tempo!
A atividade meu trouxe muitas reflexões em relação ao tempo e a o voluntariado!
As escolhas que devemos fazer, a dedicação e disciplina que que se deve ter para gerenciar o próprio tempo e ter qualidade de vida.  Mais que gerenciar tempo é preciso administrar a si próprio, afinal de contas" desenhamos nossa vida com nossas próprias mãos" Richard Bach.
E trago a proposta de convidar quem quer fazer trabalho voluntário trazer em suas mãos dois importantes instrumentos: a bússola e o relógio.


A bússola será responsável por manter o voluntários alinhado com o que julga importante,  com os valores que o levaram ao voluntariado, com a sua "vontade de participar"


O relógio é a atividade em si,  aquilo que o voluntário irá realizar, o tempo que irá oferecer, com comprometimento e metas claras.

A escolha e fidelização ao trabalho voluntário dependem desses dois instrumento: a bússola trazendo o propósito e o relógio dando as coordenadas para alcançar essa missão pessoal. 

 Priorizar tempo de voluntariado na vida depende absolutamente de cada um.  
Com esses instrumentos na mão colocar a mão na massa e agir! 




terça-feira, 22 de setembro de 2015

O que você gostaria de fazer neste exato momento?



O que você gostaria de fazer neste exato momento?

Pergunta interessante certo? Muitas vezes estamos imersos em coisas que o dia a dia vai nos entregando para fazer . Algumas somos chamados a realizar, outras simplesmente obrigados a “dar conta”. Como  você se sente em relação as coisas que você faz no seu dia a dia? O que você realiza tem um impacto positivo sobre outras pessoas? As coisas que realiza no seu dia a dia fazem com que seu coração dispare de alegria; que seus olhos brilhem e trazem vibrações positivas para sua vida? Acredite, dedicar parte do seu tempo para uma atividade voluntária  trará um sentido para a sua vida e uma alegria e bem estar enormes. 

Algumas dicas:
Organize seus desejos e vontades;
Identifique seus talentos;
Não basta ter objetivos se não souber qual a sua motivação para realizá-los;
E por fim e o mais importante! AGIR.


A Primavera é o inicio de um novo ciclo, representa um período de regar nossos jardins e plantar sementes para o nosso processo de recomeço e crescimento. Ótimo momento de trazer o voluntariado para a sua vida  e ser feliz!  Seja voluntário!   

“A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira” Tolstoi

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Voluntariado e seus benefícios surpreendentes escrito por Wederson Marinho



Voluntariado e seus benefícios surpreendentes
Wederson Marinho
Ipatinga / MG
Empresário e Empreendedor Social
25 de julho de 2015
Um dos benefícios mais conhecidos do voluntariado é o impacto sobre a comunidade. Voluntários não remunerados são muitas vezes o elo que mantém uma comunidade unida, um lugar melhor. Mesmo ajudando com pequenas tarefas, as vezes até insignificantes aparentemente, você estará fazendo a diferença na vida das pessoas, animais e organizações que necessitam. O voluntariado se caracteriza por ser uma via de mão dupla: pode beneficiar você e sua família, tanto quanto a causa que você escolher para ajudar. Dedicar algum tempo para ajudar pode lhe trazer bons amigos, aumentar sua rede de contatos e ou te permitir descobrir novas oportunidades.Ajudando os outros, você se ajuda. No mundo moderno com nossas vidas extremamente ocupadas, raramente achamos tempo para pensar no próximo e ser voluntário em alguma das milhares de causas em nossa cidade, estado, país ou até no mundo. No entanto, os benefícios do voluntariado são enormes para você, sua família e sua comunidade. O projeto certo pode ajudá-lo a encontrar amigos, estender a mão para quem precisa, aprender novas habilidades e até mesmo avançar em sua carreira. O voluntariado também pode ajudar a proteger a sua saúde física e mental. Saiba mais sobre os muitos benefícios de ser voluntário e encontrar dicas sobre como começar como voluntário. Confira alguns benefícios.
Ser Voluntário conecta você a pessoas
Um dos benefícios mais conhecidos do voluntariado é o impacto sobre a comunidade. Voluntários não remunerados são muitas vezes o elo que mantém uma comunidade unida, um lugar melhor. Mesmo ajudando com pequenas tarefas, as vezes até insignificantes aparentemente, você estará fazendo a diferença na vida das pessoas, animais e organizações que necessitam. O voluntariado se caracteriza por ser  uma via de mão dupla: pode beneficiar você e sua família, tanto quanto a causa que você escolher para ajudar. Dedicar algum tempo para  ajudar pode lhe trazer bons amigos, aumentar sua rede de contatos e ou te permitir descobrir novas oportunidades.
Voluntariado aumenta suas habilidades sociais e de relacionamento
Enquanto algumas pessoas são naturalmente extrovertidas, outros são tímidos e têm dificuldade em conhecer novas pessoas. Ser voluntário permite a oportunidade de praticar e desenvolver suas habilidades sociais, uma vez que você está se encontrando regularmente com um grupo de pessoas com interesses comuns. Uma vez que você dá o primeiro passo, é mais fácil quebrar a timidez e fazer mais amigos e ampliar seus relacionamentos.
Voluntariado como uma família
Embora possa ser um desafio  coordenar o nosso tempo, o voluntariado nos ajuda na família e tem muitos benefícios que valem a pena. Para quem tem filhos, sabem que eles observam tudo tudo que você faz. Ao ajudar sua comunidade, você estará ensinando o seu filho a fazer a diferença e ser parte da mudança que nosso mundo precisa com suas ações.
 O voluntariado é bom para o corpo e a mente
O voluntariado pode dar um impulso saudável para a sua auto-confiança, auto-estima e satisfação com a vida. Fazer o bem para os outros e para a comunidade proporciona uma sensação natural de realização. Seu papel como um voluntário também pode dar-lhe um sentimento de orgulho e realização. É a melhor sensação que podemos sentir.
Voluntariado combate a depressão.
A redução do risco de depressão é outro benefício importante do voluntariado. Um fator de risco chave para a depressão é o isolamento social e ser voluntário mantém você em contato frequente com os outros e ajuda a eliminar o stress. Trabalhar com animais de estimação é comprovadamente um dos melhores métodos para diminuir o stress, melhorar o humor e acabar com a ansiedade.
Voluntariado ajuda você a ser saudável.
O voluntariado é bom para sua saúde em qualquer idade, mas é especialmente benéfico em adultos mais velhos. Estudos comprovam que aqueles que atuam voluntariamente têm uma taxa de mortalidade mais baixa do que aqueles que não o fazem, mesmo considerando fatores como a saúde dos participantes. Oferecer-se para atividades de ajuda ao próximo tem se provado eficaz para diminuir os sintomas de dor crónica ou doença cardíaca.
Não tenho tempo ou outra limitação.  Ainda posso voluntário?
Mesmo devido a uma falta de transporte, limitações de tempo, uma deficiência ou outras razões, você ainda pode ser voluntário através do telefone ou do computador. Há muitos projetos em que você pode ajudar através da escrita, desenhos, redes sociais, enviando emails ou simplesmente divulgando as ações de entidades para sua família e amigos.Se você acredita que pode ser voluntário através da internet ou fazendo algum trabalho em casa, fique ciente que há inúmeras  possibilidades para você ser útil dentro das suas condições.
O voluntariado pode avançar em sua carreira
Se você está considerando uma nova carreira, o voluntariado pode ajudá-lo a obter experiência em sua área de interesse e conhecer as pessoas no campo. Mesmo se você não está pensando em mudar de carreira, o voluntariado lhe dá a oportunidade de praticar habilidades importantes usados ​​no local de trabalho, tais como trabalho em equipe, comunicação, resolução de problemas, planejamento de projetos, gerenciamento de tarefas e organização.
 O voluntariado pode proporcionar uma experiência em carreira diferente
O voluntariado oferece-lhe a oportunidade de experimentar uma nova carreira, sem fazer um compromisso de longo prazo.  Em alguns campos, você pode oferecer-se diretamente a uma organização que faz o tipo de trabalho que você está interessado. Por exemplo, se você estiver interessado em enfermagem, você poderia oferecer-se em um hospital ou em um lar de idosos. Seu trabalho voluntário também pode expô-lo a organizações profissionais ou estágios que poderia trazer benefícios.
O voluntariado pode ensinar-lhe habilidades de trabalho valiosos
Só porque o trabalho voluntário não é remunerado não significa que as habilidades que você aprende são básicos. Muitas oportunidades de voluntariado fornecem treinamento extensivo. Por exemplo, você pode se tornar um conselheiro experiente em finanças, relações públicas, assistência social, empreendedorismo e muitas outras funções atuando nas entidades da sua região em abrigos, escolas, fundações, asilos, creches e muitas outras entidades. O voluntariado também pode ajudá-lo a melhorar as habilidades que você já tem e usá-las para beneficiar a comunidade em geral. Por exemplo, se você é advogado pode trabalhar ajudando as pessoas a se conscientizarem sobre o seus direitos e no processo continuar sempre melhorando suas habilidades de advogar, preparar processos, falar em público e ainda trabalhar seu marketing pessoal.
Paixão e positividade são os únicos requisitos
Enquanto aprender novas habilidades pode ser benéfica para muitos, não é um requisito para uma experiência de voluntariado gratificante. Tenha em mente que as habilidades mais valiosas que você pode trazer para qualquer esforço voluntário são a compaixão, uma mente aberta, uma vontade de fazer o que for necessário, e uma atitude positiva.
O voluntariado traz diversão e satisfação para a sua vida
O voluntariado é uma maneira divertida e fácil de explorar seus interesses e paixões. Fazer trabalho voluntário pode ser uma forma interessante e relaxante de quebrar a rotina dos compromissos de trabalho, escola ou família. O voluntariado também pode te ajudar a exercitar sua  criatividade, motivação e visão e, isso, pode te ajudar muito na vida pessoal e profissional.
Dicas para Introdução Voluntariado
Primeiro, pergunte-se se há algo específico que você quer fazer.
Como encontrar a oportunidade certa voluntário
Existem inúmeras oportunidades voluntárias disponíveis. A chave é encontrar uma posição de voluntário que você iria desfrutar e ser capazes de realizar. Também é importante ter certeza de que seu compromisso corresponde às necessidades da organização. As seguintes perguntas podem ajudá-lo a limitar as suas opções:
·         Você gostaria de trabalhar com adultos, crianças, ou animais?
·         Presencial ou remotamente,  a partir de casa?
·         Você prefere trabalhar sozinho ou como parte de uma equipe?
·         Você está melhor nos bastidores ou você prefere a assumir um papel mais visível?
·         Quanto tempo você está disposto a comprometer?
·         Quanta responsabilidade você está pronto para assumir?
·         Que habilidades você pode trazer um trabalho voluntário?
·         Que causas são importantes para você?
·         Definindo isso, visite algumas entidades, converse com os responsáveis e se envolva.

Lembre-se, pequenas ações podem gerar transformações grandiosas.



segunda-feira, 27 de julho de 2015

5 qualidades que fazem um bom Voluntário

Dia 20 de julho foi o DIA DO AMIGO!

Amigo de verdade dá boa dicas e  ideias!   
Ficam aqui descritas as  5 qualidades que fazem um bom Voluntário e que com certeza fazem também um bom amigo! 

O trabalho voluntário realizado tem que ser também muito importante e prazeroso  para quem está com a mão na massa! É fundamental refletir: vale a pena o tempo e esforço dedicados?
Apresentamos aqui 5 pontos de atenção e dicas para quem quer fazer parte dessa corrente do bem  e uma reflexão sobre  que no voluntariado quem doa tempo, trabalho e talento está oferecendo também! 
        1.Criatividade: no voluntariado é permitido  sonhar!  Colocar a  imaginação e deixar a marca pessoal;
2.Energia: existe um esforço físico , intelectual e emocional para fazer bem feito o bem;
3.Flexibilidade: nem sempre, por mais que haja organização para as ações,  as atividades acontecem como foram planejadas. No trabalho voluntário muitas vezes  necessário adaptar-se;
4.Integridade: tem que haver confiança, responsabilidade, honestidade e sinceridade. A maneira como se trabalha mostra se realmente existe comprometimento.
5. Alegria:  quando as pessoas usam seus talentos com paixão e bom humor as tarefas se tornam leves

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Fazer o Bem Faz Bem para Você! Doing good is good for you

Sabemos há muito tempo que as horas e os recursos que os indivíduos contribuem 
através de esforços voluntários promovem muitas e relevantes melhorias nas comunidades.

A pesquisa realizada fala que o trabalho voluntário vai muito além disso! O voluntariado faz as pessoas se sentirem bem!
Voluntários ativos e engajados em suas comunidades  tem
benefícios para a saúde e muito mais bem-estar.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

7 bilhões cuidando uns dos outros!


Não existe outra forma de mudar e melhorar o nosso Planeta!
Voluntariado é ferramenta a disposição de quem quer colocar a mão na massa e fazer a diferença, deixar um legado e promover essas mudanças: 
hoje aqui e agora e para as gerações futuras! 

É preciso acreditar e realizar! 

Acompanhe as oportunidades  de trabalho voluntário que o CVSP divulga: 
www.voluntariado.org.br 
https://www.facebook.com/centrodevoluntariadodesaopaulo





sexta-feira, 3 de julho de 2015

Brasil subiu uma posição no índice mundial de doações que abrange 135 países ao redor do globo: saiu da 91ª para a 90ª

O Brasil subiu uma posição no índice mundial de doações que abrange 135 países ao redor do globo. O país saiu da 91ª para a 90ª posição, de acordo com a pesquisa World Giving Index 2014 divulgada divulgado anualmente desde 2010, é encomendado pela instituição britânica CAF, Charities Aid Foundation, ao instituto de pesquisa Gallup World Pool e aqui no Brasil coordenado e divulgado pelo IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social. Os dados mostram:
 22% dos brasileiros entrevistados afirmaram ter doado dinheiro para organizações da sociedade civil,
40% ajudaram desconhecidos e
16% fizeram algum tipo de trabalho voluntario.

10 principais países no quesito voluntariado:


Turcomenistão, Uzbequistão e o Tajiquistão permanecem neste grupo pelo percentual de pessoas que praticam voluntariado acredita-se que esses antigos estados soviéticos compartilham da cultura obrigatória do “subbotnik”, a doação de um sábado ao voluntariado ou ao trabalho sem retorno financeiro.
O Butão foi incluído no World Giving Index, enquanto o voluntariado na Irlanda e na Nigéria aumentou 4% e 5%
A Malásia, de 19% em 2012 a 41% em 2013, que a fez subir cinquenta posições nos rankings de voluntariado e isto pode ser devido a sua resposta humanitária ao Tufão Haiyan.
A Índia tem o máximo de pessoas doando seu tempo ao voluntariado, com uma estimativa de 186,5 milhões com esse hábito.
A China alcança somente o quarto lugar nesta lista, sendo superada até pela Indonésia, apesar de ter seis vezes a sua população – esta posição se deve a somente 6% da população chinesa pesquisada praticar o voluntariado.

Pontuações do comportamento de doações continental
Por todos os continentes, ajudar um estranho é a forma mais comum de doação. Mesmo com o consenso a principal forma de solidariedade, os continentes diferem em seus padrões de doação.
 Nas Américas, Ásia e Europa, ajudar um estranho é cerca de duas vezes mais comum do que voluntariado, e doar dinheiro fica em algum lugar entre ambos.
Na África, ajudar um estranho é cerca de três vezes mais comum que o voluntariado junto a uma organização e a doação de dinheiro para a organizações sociais, sugerindo que a generosidade neste continente consiste bem mais em assistência “informal” pessoal e com base na comunidade.
Na Oceania, as proporções de ajuda a um estranho e doação de dinheiro são bem mais igualadas, com estas formas de doação somente uma vez e meia mais comum que o voluntariado.
Participação continental na doação de dinheiro, voluntariado e ajuda a um estranho e participação em 5 anos



Recomendações para os governos ao redor do mundo:
·         Certificar-se que organizações sem fins lucrativos sejam reguladas de forma justa, consistente e abertas tornar mais fácil para as pessoas doarem e oferecer incentivos para a doação, sempre que possível;
·         Garantir que as organizações sem fins lucrativos sejam transparentes e informem ao público sobre seu trabalho;
·         Promover a sociedade civil como voz independente na vida pública;
·         Respeitar o direito das organizações sem fins lucrativos de fazerem campanhas de captação e de voluntariado;

·         Encorajar a doação à medida que as nações desenvolvem suas economias, aproveitando as crescentes classes médias do globo.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sustentabilidade e Voluntariado

Em tempo de profundas mudanças climáticas que estão trazendo enormes consequências econômicas, sociais e ambientais, é mais do que necessário, é imprescindível repensar o modelo de produção e consumo vigente. O planeta não suporta mais o uso dos recursos naturais insustentáveis. A participação de cada cidadão em ações concretas é o caminho em direção a um modelo de desenvolvimento sustentável. A Conferência Rio+20 demonstrou o forte poder de influência da sociedade civil e como o voluntariado pode ser a ferramenta de convite para a participação de todos em direção ao desenvolvimento sustentável.



O Voluntário é o protagonista, o agente de transformação social que prestas serviços não remunerado doando seu tempo, suas habilidades  e a sua energia. Um ator  social fundamental para  a  diminuição de  desigualdades sociais e promoção da inclusão social; a erradicação da pobreza, a promoção da igualdade entre gêneros e racial;  a proteção ambiental e promoção das energias renováveis;  e ainda a valorização da educação e saúde. Tudo isso aliado às sociedades pacíficas e inclusivas para que a justiça social seja colocada como meio e fim estratégico na construção dessa sociedade que queremos hoje, aqui e agora e também deixada de legado para as gerações futuras. 

Termino minhas reflexões com uma frase que li na internet, esperando  inspirar da ação! 
A base de toda a sustentabilidade é o desenvolvimento humano
que deve contemplar um melhor relacionamento do homem
com os semelhantes e a Natureza.
N. Anderáos

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Dos ODMs para os ODSs: sustentabilidade e os desafios para 2030



Porque os ODMs?
Em 2000, a ONU – Organização das Nações Unidas - ao analisar os maiores problemas mundiais, estabeleceu 8 Objetivos do Milênio – ODM, que no ficaram conhecidos como os 8 Jeitos de Mudar o Mundo. 

Compartilhar a situação global
Ter um quadro com tudo incluído e planejado para a ação
Definir claramente os objetivos e metas


O que aconteceu até 2015?

1.2 bilhões de pessoas no mundo ainda vivem na pobreza
Milhões sem acesso a trabalho e geração de renda
A terra sofre com o aquecimento global!



Sustentabilidade e os ODS: é a forma de construirmos o mundo que desejamos!




Quem é o IMPACT 30?

Grupo de empresas globais que por meio do avanço da prática e impacto do voluntariado empresarial vão  voluntários corporativas mundiais para apoiar a realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – agenda pós 2015.
IMPACT 2030 acredita que um compromisso com o voluntariado empresarial quando usado em conjunto com as Nações Unidas , empresas do mesmo setor , governo, academia e sociedade civil - é uma ferramenta poderosa para acelerar a realização global do Desenvolvimento Sustentável e inspirar o setor privado para a ação positiva ..
O grupo IMPACT 2030 está empenhado em promover, alinhar e facilitar o voluntariado corporativo e canalizar os esforços das empresas associadas para que os ODSs sejam atingidos. O objetivo  é promover o  envolvimento dos stakeholders e trabalhar junto  destacandoo potencial do Voluntariado Corporativo e desenvolvimento de Habilidades


Como o Voluntariado Empresarial pode contribuir para que até 2030 esses 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável possam ser alcançados? 

Trabalhar no sentido de satisfazer as necessidades humanas básicas através da provisão de programas de voluntariado empresarial voltada para a erradicação da pobreza e da desigualdade em todas as suas formas até 2030.
Trabalhar com instituições governamentais e outras partes interessadas para garantir o acesso a alimentos seguros, nutritivos e suficientes para todas as pessoas com o objetivo final de acabar com a fome até 2030.
Complementar e reforçar a capacidade de todos os países , particularmente os países em desenvolvimento , na gestão de riscos nacionais e globais de saúde , nomeadamente através do reforço do papel das organizações comunitárias de saúde.
Forneça a igualdade de acesso à formação profissional , bem como formas complementares de educação não formal , tais como o aprendizado de serviço e comunidade de base à base de aprendizagem para os mais vulneráveis ​​.
Mobilizar voluntários corporativos de participar ativamente e promover campanhas públicas e programas para promover a mudança de comportamento para alcançar a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres e meninas , bem como para reverter a violência contra as mulheres.
Entregar capacidade no desenvolvimento de infra-estrutura para garantir o acesso ao saneamento e à higiene adequada e equitativa para todos.
Promover iniciativas de voluntariado corporativo para apoiar a expansão do acesso à energia acessível, confiável, sustentável e moderno para todos.
Foco iniciativas de voluntariado empresarial em iniciativas de desenvolvimento de competências destinadas a aumentar a empregabilidade e empreendedorismo social, especialmente entre as mulheres , os jovens e as pessoas em situação de vulnerabilidade .
Incentivar o desenvolvimento e implantação de iniciativas de voluntariado corporativo voltadas para o fornecimento de soluções inovadoras locais para a construção de infra-estrutura resiliente , e para melhor planejar e gerenciar novos e existentes assentamentos humanos .
Promover estilos de vida sustentáveis ​​entre as nossas empresas da força de trabalho e membros através do estímulo à adoção de padrões sustentáveis ​​de consumo e produção a nível mundial.
Envolver voluntários corporativos em educar e treinar as comunidades em resposta relacionada com o clima de desastres, mitigação, adaptação, redução de impacto, a recuperação de curto e longo prazo, e de alerta precoce.
Facilitar o desenvolvimento de competências por meio de iniciativas de voluntariado empresarial na área da conservação e utilização sustentável dos recursos marinhos e dos ecossistemas terrestres Facilitar a comunidade e iniciativas de voluntariado empresarial no sentido de sensibilizar de uma cultura de paz e não- violência e na promoção da coesão social e da reconciliação em situações de pós -conflito.
Contribuir ativamente experiência de voluntariado empresarial e capacidade para reforçar as capacidades nacionais e internacionais para adquirir e analisar dados relevantes para medir e avaliar o progresso em relação a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável .




sexta-feira, 5 de junho de 2015

Quem és tu?

Separei para esta semana  um vídeo que assisti faz alguns anos e uma palestra de Mario Sergio Cortella.

Quem é você neste vasto Universo? 

video

Completo a reflexão e a provocação de Mario Sergio Cortella dizendo que cada um de nós pode,  por meio de um voluntariado vibrante, responsável e comprometido, fazer realmente uma diferença neste nosso Planetinha Terra. 

Essa mudança começa em nós e na forma como nos colocamos perante a sociedade, com um olhar fraterno, solidário e cidadão!  



sexta-feira, 29 de maio de 2015

Solidariedade e cidadania também se aprende na escola


Em 1998, foram publicados pelo Ministério da Educação e da Cultura - MEC os Parâmetros Curriculares Nacionais – PCNs. Tal documento significou, sem dúvida, um grande avanço para a educação brasileira, afinal, pela primeira vez foi criado, como o próprio nome já indica, um referencial único para toda a educação nacional. Diante da extensão do território brasileiro e suas diversidades regionais, culturais e políticas, foi preciso pensar num documento que respeitasse as diferenças existentes dentro do país e pudesse ser traduzido em propostas regionais. Os PCNs são uma proposta de reorientação curricular que, quando discutida e traduzida regionalmente serve como base/parâmetro para a elaboração da proposta curricular de cada instituição escolar e, conseqüentemente, para o cotidiano da sala de aula. Propõe uma revisão dos currículos escolares, os PCNs estimulam um debate educacional ampliado e aprofundado envolvendo toda a comunidade escolar.




As transformações no mundo do trabalho também pressionam escolas de todo o mundo a questionar-se sobre suas funções, responsabilidades e práticas. Além disso, a sociedade exige alcançar valores morais e a escola vem sendo vista como o local onde devem ser suscitados em cada um de nós tais valores. Instituições escolares de todo o mundo estão direcionando os seus currículos escolares para a formação de homens e mulheres capazes de ingressar no mundo do trabalho, mas também, e acima de tudo, preparados para o exercício da cidadania.  Para que isso seja possível, os PCNs propõem, como pode ser constatado na citação acima, que a escola seja espaço onde referenciais éticos sejam além de discutidos, vivenciados e construídos.Diante do que foi exposto até aqui, percebe-se que temas como ética, cidadania, respeito e solidariedade são bastante enfatizados nos PCNs, o que significa que existe uma vontade política de fazer com que a escola brasileira seja responsável em formar cidadãos que tenham atitudes de solidariedade, de cooperação, de participação social e política, de justiça e de respeito. Somado a isso, existe uma demanda da sociedade em tornar a escola espaço de debate e exercício da solidariedade.
Assim, algumas escolas brasileiras optam por estimular seus alunos a planejar e desenvolver projetos de voluntariado, pois percebem nessa atividade uma oportunidade dos alunos vivenciarem e discutirem referenciais éticos. O desenvolvimento de projetos de voluntariado traz benefícios tanto para comunidade que recebe a ação, quanto para alunos, professores, enfim, para toda a escola que a planeja e desenvolve.
Os alunos que se envolvem com projetos sociais como voluntários têm a oportunidade de se tornarem empreendedores juvenis, ou seja, esses jovens exercitam capacidades como a de imaginar, de planejar e de colocar em prática sonhos e projetos. Tornam-se protagonistas de transformações dentro e fora da escola, exercitando assim a participação ativa nas transformações necessárias à sua comunidade. O jovem voluntário é capaz de concretizar projetos pessoais, favorecendo assim o seu desenvolvimento emocional e, consequentemente, profissional. Muitas das habilidades exercitadas no voluntariado são, frequentemente, exigidas no mundo do trabalho, porém, poucas vezes, são estimuladas e vivenciadas na escola. 
O professor também é beneficiado quando se envolve em projetos sociais, estimula seus alunos a participarem dessas ações e relaciona tais experiências com os conteúdos curriculares: planejar e desenvolver projetos sociais contribui para que a escola chegue mais perto da realidade dos seus alunos.Já o público alvo que recebe diretamente a ação planejada e desenvolvida pela escola vê a sua realidade transformada positivamente e passa a ter uma relação mais próxima com a instituição escolar, vendo-a como um lugar público que em muito pode contribuir para a melhoria da qualidade de vida não só pela construção teórica de conhecimentos, mas também, pelo o que é capaz de fazer na prática: a comunidade para dentro da escola e vice-versa.A proposta de trabalhar o tema solidariedade, cidadania e ética dentro das escolas brasileiras não é uma exigência dos PCNs, como já foi dito anteriormente, porém a vivência e o exercício são exigências para a aprendizagem de valores, de comportamentos, atitudes e também habilidades. Isso significa que, se a educação no Brasil, de acordo com os documentos legais que regem a educação nacional, deve estimular a prática da cidadania e da solidariedade, é preciso que a escola dê oportunidade para que seus alunos entrem em contato com situações que os estimulem a se tornarem solidários, críticos e justos, como acontece quando eles se tornam voluntários e participam de ações sociais
.

O movimento é mundial, o voluntariado a ferramenta para alcançarmos uma sociedade mais justa, solidária e cidadã.